5 | 20
Destaques de 2009

JBS comunica expansão no Brasil  através de cinco novas unidades no norte do País

No dia 6 de julho de 2009, a JBS deu mais um grande passo para consolidar ainda mais a sua plataforma de produção no Brasil através da incorporação de cinco unidades de abate e desossa, que ampliou, na ocasião, a sua capacidade de em mais 5.150 animais/dia.  

Essa integração elevou, na ocasião, a capacidade de abate da Companhia para mais de 26.000 animais/dia no Brasil. Alem disso, com a reabertura destas unidades, que estavam paralisadas, a JBS empregará em torno de três mil pessoas na região norte do país.

As unidades adquiridas estão localizadas nas seguintes cidades:
  • Unidade de abate e desossa em Juara com capacidade para processar 800 animais/dia. Esta unidade produz biodiesel a partir do sebo, o que marcou a entrada da Companhia neste setor que vem crescendo no Brasil.

  • Unidade de abate e desossa na cidade de Alta Floresta com capacidade para processar 1.600 animais/dia;

  • Unidade de abate e desossa na cidade de Colider com capacidade para processar 850 animais/dia. Assim como Juara, esta unidade também produz biodiesel, produto com forte apelo sustentável.

  • Unidade de abate e desossa na cidade de Cuiabá com capacidade para processar 800 animais/dia.

  • Unidade de abate e desossa na cidade de São José dos Quatro Marcos com capacidade para processar 1.100 animais/dia. Esta unidade produz uma linha ampla de produtos processados de valor agregado, tais como carnes enlatadas e uma variedade de carnes pré-cozidas para os principais mercados do mundo.

A integração destas unidades, que são habilitadas para exportar para os principais mercados do mundo, fortalece a posição da Companhia no Brasil. A reabertura destas unidades reflete o compromisso da JBS com a cadeia pecuária brasileira, buscando angariar através da compra de bovinos a continuidade dos investimentos no setor.

Constituição da JBS Couros

Em agosto, a JBS passou a atuar em mais um setor do agronegócio, e criou mais uma divisão de negócios: a JBS Couros. O Conselho de Administração deliberou e aprovou em uma reunião realizada no dia 11 de agosto de 2009, a constituição da sociedade JBS Couros Ltda., que representou a entrada da Companhia no ramo de industrialização, comercialização, importação e exportação de couros. Ainda em agosto, o Conselho da Companhia aprovou também a capitalização da JBS Couros em até R$ 50.000.000,00 (cinqüenta milhões de reais), cuja destinação será financiar os investimentos iniciais da JBS Couros.

A entrada neste setor era natural, afinal a JBS é a maior empresa produtora de carne bovina e o couro é matéria-prima deste produto.  A posição da JBS no mercado foi reforçada ainda em 2009, quando a JBS incorporou o Bertin, empresa que já tinha forte destaque neste segmento. Atualmente, a JBS é a maior produtora de couro do mundo.

O Bertin, tinha posição de maior exportador brasileiro de couros, com participação em mais de 20% das exportações brasileiras. Mais de 90% da produção é exportada e entre suas compradoras estão renomadas marcas e grandes empresas globais. Esta posição no mercado consolidou a JBS no setor de couros. Com o Bertin, a JBS incorporou ainda 10 unidades industriais de couros no País e uma no exterior (China), e capacidade de produção de 24.700 couros por dia, atendendo diferentes setores, tais como calçados, automobilístico, moveleiro e de artefatos. No setor de couros, a JBS tem como foco acompanhar as tendências mundiais, avaliar as expectativas dos mercados em que atua e personalizar os produtos e serviços, de acordo com as especificações dos clientes.

Aquisição Da Pilgrim´s Pride

Ainda no ano de 2009, a JBS S.A. comunicou ao mercado a aquisição da Pilgrim´s Pride Corporation por aproximadamente US$2.8 bilhões.

A JBS celebrou no dia 16 de setembro de 2009, um Stock Purchase Agreement (“SPA”), através de sua subsidiária JBS USA Holdings, Inc., por meio de uma subscrição de novas ações de emissão da Pilgrim’s Pride Corporation, tornando-se titular de ações representativas de 64% do capital social total e votante da Pilgrim’s Pride.

A aquisição da Pilgrim’s Pride representou um marco na trajetória da JBS, pois a Companhia ingressou no setor de proteína frango, diversificando desta forma a sua plataforma de negócios globalmente. Sendo uma sociedade com sede em Pittsburgh, Texas, Estados Unidos da América, a Pilgrim´s atua na criação, abate, processamento e comercialização de carne de frango. É uma das maiores empresas de carne de frango dos EUA, com atuação relevante também em Porto Rico e no México, com  exportações para mais de 80 países. A Pilgrim’s Pride tem a capacidade instalada de processar aproximadamente nove bilhões de libras (aproximadamente 4,1 milhões de toneladas) de frango por ano. No exercício fiscal de 2008, a Pilgrim’s Pride obteve receita líquida de aproximadamente US$ 8,5 bilhões.

A Pilgrim’s Pride possui posição de destaque no mercado americano a partir de 33 plantas de processamento nos Estados Unidos da América, três plantas de processamento no México e uma planta em Porto Rico, e emprega aproximadamente 41 mil trabalhadores.

Em 28 de dezembro de 2009, a JBS finalizou a aquisição do controle da Pilgrim’s Pride Corporation através de subscrição de novas ações, tornou-se titular de ações representativas de 64% (do capital social total e votante da Pilgrim’s Pride Corporation, sediada em Pittsburgh, Texas, EUA, por US$ 800 milhões de dólares norte-americanos, que foram pagos em dinheiro. A Aquisição seguiu os trâmites legais aplicáveis e foi aprovada pela corte de falências nos Estados Unidos da América.

No dia 29 de dezembro, as ações de emissão da Pilgrim’s Pride Corporation voltaram a ser negociadas na New York Stock Exchange sob o ticker “PPC”, após terem ficado quase 13 meses sem listagem, enquanto a Pilgrim’s Pride Corporation cuidava com sucesso de seu plano de recuperação judicial.

A Pilgrims Pride Corporation é controlada pela JBS USA, que, por sua vez, é uma subsidiária da JBS S.A.

Incorporação da Bertin S.A

Em setembro, a JBScomunicou ao mercado que firmou um Acordo de Associação que prevê, entre outras, diversas transações de forma a viabilizar a unificação das operações da Bertin e da JBS.

Conforme o Acordo de Associação, os acionistas controladores da JBS, J&F Participações S.A. e ZMF Fundo de Investimento em Participações concordaram em contribuir para uma sociedade holding a totalidade das ações que ambos detêm na JBS. Os acionistas controladores da Bertin, por sua vez, concordaram em contribuir para a Nova Holding ações representativas de 73,1 % do capital da Bertin. A Nova Holding, portanto, passará a ser a acionista controladora tanto da Bertin como da JBS.
A aprovação desta incorporação foi avaliada pelas autoridades de defesa da concorrência no Brasil e no exterior, conforme aplicável, a condições de praxe, tais como a inexistência de um efeito adverso material nos ativos a serem contribuídos, e à conclusão, de forma satisfatória, de due diligence em tais ativos.

Em 31 de dezembro de 2009, foi aprovada a incorporação, pela Companhia, de suas subsidiárias integrais Bertin S.A. e JBS Couros Ltda.

Como resultado da reorganização societária que precedeu a incorporação da Bertin pela Companhia, o controle da JBS permanece exercido pela Família Batista, através da FB Participações S.A., que é titular de ações representativas de aproximadamente 60% do capital da Companhia.

A incorporação da Bertin S.A, está dentro da estratégia de diversificação e expansão da JBS, visando à formação de uma empresa líder mundial no setor de proteína animal e à reafirmação da posição do Brasil num mercado altamente competitivo e globalizado. Junto com a Bertin vieram os setores de Carnes e Industrializados, Couros, PET (Produtos para animais domésticos), lácteos e derivados, reciclagem, biodiesel, oleoquimica, higiene e beleza, colágeno, fábrica de latas, dentre outros.

Alguns dos setores, reafirmaram a participação de mercado da JBS no mercado, tais como o segmento de carnes e industrializados e couros. Outros, por sua vez, ingressaram a JBS, em novos setores de atuação, como foi o caso do colágeno, pet, dentre outros. No segmento de carnes, a Bertin consagrou ainda mais a posição de liderança da JBS no mercado. Isto porque, a Bertin trouxe uma capacidade adicional de abate de 14 mil cabeças de gado por dia. Alem disso, a Divisão Carnes da Bertin destacava-se como a segunda maior do País no setor de frigoríficos. Esta incorporação foi ainda positiva, pois a Bertin fabrica grande variedade de produtos industrializados que usam a carne bovina como matéria-prima: são carnes enlatadas, beef jerky, supergelados, pratos prontos, entre outros, os quais são produtos de alto valor agregado.

Aquisição da Tatiara Meat Company na Austrália

Outro destaque em 2009, foi a compra de mais uma empresa na Austrália, reafirmando a posição de liderança da JBS naquele país.

A JBS S.A. realizou esta aquisição através de sua subsidiária integral, a Swift Austrália, que firmou um acordo com o Vion Food Group para a compra da Tatiara Meat Company (TMC).

A Tatiara Meat Company, mais conhecida como TMC, é uma processadora de carne ovina de alta qualidade, focada em mercados sofisticados como Estados Unidos, Canadá e Europa, além do mercado doméstico Australiano. A Companhia é sediada em  Bordertown South Austrália, uma região conhecida por seu rebanho ovino de alta qualidade. A TMC possui um faturamento anual de aproximadamente AUD200 milhões (USD 183 milhões) e a JBS concordou em pagar AUD30 milhões (USD 27,5 milhões) pela empresa (Enterprise Value), sujeito à conclusão do processo de due diligence.

Com essa aquisição, a Swift Austrália se tornou a maior processadora de carne ovina na Austrália, com capacidade de abate de 24.500 cabeças por dia.
JBS © 2010. Todos os direitos reservados. | Contato | Powered by RIweb